Humildes Notícias - O site de notícias de Humildes - Bahia

HOME         POLÍTICA          ESPORTE         POLÍCIA         TRÂNSITO         RELIGIÃO         CULTURA E LAZER         EDUCAÇÃO         EMPREGO


30/07
às 02:45
Secom

Nunca remover cutículas, hidratar bem os pés, cortar as unhas retas, não usar meias com costuras e nunca andar descalço são recomendações que todo paciente diabético deve seguir, uma vez que, as feridas de difícil cicatrização podem levar a amputações.
   
Ontem, (29), enfermeiros da Atenção Básica – UBS e PSF – e das policlínicas foram capacitados sobre “Feridas: aperfeiçoando o cuidar”, para que possam oferecer uma atenção especial a esses pacientes, alertando-os sobre os cuidados e as formas de prevenir as complicações ocasionadas pela doença. 
   
A iniciativa da Secretaria Municipal de Saúde, através do Centro de Atendimento ao Diabético e Hipertenso (Cadh), prossegue nesta quinta-feira, 30, no auditório Dr. João Batista de Cerqueira.
  
“O enfermeiro tem um papel fundamental no cuidado com o paciente, desempenhando um trabalho de relevância no tratamento de feridas, pois é quem acompanha a evolução da lesão, orienta e executa os curativos”, afirma a coordenadora do Cadh, Andreia Silva.
 
De acordo com ela, as maiores complicações do diabetes - doença ocasionada pela elevação descontrolada do nível de açúcar no sangue. O ideal é 99mg/dl - aparecem nos membros, sobretudo, os inferiores. Um exemplo é o chamado pé diabético.
 
“Por isso, os profissionais de enfermagem devem ficar atentos em avaliar a higiene dos pés do paciente, se a pele está ressacada, a forma como ele corta as unhas, olhar a temperatura, entre outras medidas”, cita.
  
O paciente diabético apresenta perda de sensibilidade (neuropatia) e diminuição sanguínea, ficando mais suscetíveis a queimaduras, cortes e perfurações na pele. “A evolução de uma ulcera pode levar a uma amputação - ocorre em paciente que apresenta infecções no osso ou tecido”, diz.

Por Secom

 

30/07
às 02:39
Reprodução

A idosa Marinha Novais, de 69 anos, esperou até que todos os filhos se formassem para fazer faculdade. Com seis filhos e 22 netos, a idosa veio de uma família humilde e tinha finalmente realizado o sonho de concluir o curso de Enfermagem, no final de junho deste ano. Ela já havia feito curso técnico e aguardava nomeação na Secretaria de Saúde.
 
Porém, a um mês da cerimônia de entrega do diploma, Marinha foi internada em um hospital para passar por uma cirurgia para colocar um marca-passo no coração. Ela não resistiu e morreu em 20 de julho, três dias antes da cerimônia de colação de grau.Em entrevista ao G1, a professora de estágio supervisionado Alynne Vicentina, 24, contou que a idosa era uma das alunas mais dedicadas da turma.
 
"Perguntei a ela se ela pretendia exercer a profissão e ela disse que não, mas que era o sonho dela. Ela era uma aluna superdedicada. Todo mundo gostava dela, ela pegava as coisas facilmente e fechou o histórico só com notas altas acima de 9.”
 
Segundo a filha Adalgisa da Silva, 49, a mãe continuava checando o histórico escolar e ajustando os últimos detalhes para a colação mesmo internada no hospital. A idosa chegou a pedir que a irmã fosse a faculdade tirar as medidas da beca para ela, além de lembrar sempre a neta de buscar os convites da festa.
“No hospital ela falava o tempo todo da colação. Ela dizia que quando colocasse a mão no canudo com o diploma seria uma alegria, um sonho realizado. Ela esperou muito por isso, não desistiu nunca, ela estava o tempo inteiro interagindo com a turma para as providências da colação. Até preocupada com o cabelo branco ela ficou. O entusiasmo e a vontade de vestir uma beca eram muito grandes”, conta Adalgisa ao G1.
 
Realizada na última quinta-feira (23), a filha caçula da idosa a representou na cerimônia de colação de grau. Adriana Martins, de 40 anos, recebveu o diploma em nome da mãe. Ela, que também é enfermeira, teve a ideia de enterrar a mãe vestida de beca. A vestimenta foi confeccionada por um dos 14 irmãos de Marinha.
 

Por G1

 

30/07
às 02:36
Agência Brasil

Reduzir a informalidade no trabalho rural e qualificar e promover o acesso dos trabalhadores do campo a políticas educacionais são as principais metas do Plano Nacional dos Trabalhadores Rurais Empregados (Planatre), lançado hoje (29) pelo governo federal, em Brasília.
 
Instituído como consequência da Política Nacional para os Trabalhadores Rurais Empregados (Pnatre), o plano é dividido em quatro eixos (capacitação profissional e ampliação da escolarização; combate à Informalidade; criação de oportunidades para geração de trabalho, saúde e assistência social e segurança do trabalhador rural.
 
De acordo com a Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (Pnad) de 2013, dos 4 milhões de trabalhadores rurais do país, quase 68,7% estão na informalidade. Eles atuam, principalmente, em cinco cadeias produtivas, entre as quais a lavoura e a pecuária (21,8%) e a agricultura (12,8%). Ainda de acordo com a Pnad, de cada dez trabalhadores rurais empregados, quatro contribuem para a Previdência Social. Entre os informais, apenas 5,1% contribuem.
 
O secretário de Assalariados e Assalariadas Rurais da Confederação Nacional dos Trabalhadores na Agricultura (Contag), Elias D'Ângelo Borges, disse que a alta informalidade no campo faz com que os trabalhadores não tenham direitos, como o da aposentadoria. “Se tivermos ações de combate à informalidade, o trabalhador vai ter acesso às políticas públicas, como aposentadoria."
 
Segundo Borges, mais de 60% dos trabalhadores rurais estão fora da Previdência Social. "Com o plano, as políticas de escolarização e qualificação profissional vão melhorar a vida do trabalhador, possibilitando que ele tenha acesso a novos e melhores postos de trabalho.”
 

Por Agência Brasil

 

30/07
às 02:35

O Ministério da Cultura vai fazer, ainda neste semestre, consulta pública sobre a cobrança de direitos autorais de conteúdos de artistas brasileiros que estão disponíveis na internet. Daqui a duas semanas, a pasta inicia uma série de reuniões com todos os envolvidos e interessados no assunto para tratar da regulação do setor.
 
Foram convidados para as reuniões os titulares de direito autoral, representantes dos players (artistas) que atuam no Brasil e que usam as obras no ambiente digital e também as associações de gestão coletiva de direito autoral de várias áreas.
 
A informação é do diretor de Direitos Intelectuais do Ministério da Cultura, Marcos Souza. Ele disse que a garantia de direitos autorais na internet ainda é uma questão obscura e que existe uma pressão crescente de artistas sobre governos no mundo todo, para que isso seja regulado. Como o Marco Civil da Internet (Lei 12.965/14) já está em vigor no Brasil, o ministério pretende aproveitar e discutir o ambiente digital como um todo.
 
O Ministério da Cultura quer, primeiramente, regular a gestão coletiva dos direitos autorais no meio digital e baixar uma instrução normativa para dar cumprimento a um artigo da Lei nº 12.853, de 2013, segundo o qual a cobrança deve ser proporcional ao uso, levando em conta as características dos players.
 
Segundo Souza, na segunda etapa, serão discutidas a Lei de Direitos Autorais (Lei nº 9.610, de 1998) e a necessidade de revisão dela para o ambiente digital de hoje. “Essa regra é de 1996, que o Brasil adotou em 1998. Foi uma regra inventada para o ambiente digital da época, quando não existiam Streaming, Facebook, Google, Napster – era uma situação bem diferente. Hoje, temos um ambiente digital muito mais complexo, em que as coisas não estão totalmente claras.”
 

Por Agência Brasil

 

30/07
às 02:33

O pedreiro Luciano de Jesus, de 36 anos, foi vítima de um golpe já conhecido, mas recorrente em Feira de Santana. Ele recebeu a ligação de um falso seqüestrador e foi obrigado a depositar uma quantia em uma conta bancária de um desconhecido.
 
O bandido fingia estar em poder da filha da vítima e usou a voz de uma mulher que fingiu ser a vítima.  “Ele me ligou dizendo que estava com a minha filha como refém e dizendo que era para depositar o dinheiro. Quando conseguir falar com ela, já tinha depositado o dinheiro. Ele estava em casa, tranquilamente. Aí me dei conta que havia caído em um golpe”.
 
Luciano depositou a quantia de R$ 300, mas disse que o golpista exigia R$ 1 mil. A vítima prestou queixa na Polícia Civil, que deve investigar o fato. 
 

Por De Olho na Cidade/Messias Teles

 

29/07
às 08:14
1 vaga para recepcionista e 1 vaga para ajudante de recepcionista. Interessados devem ligar para o número (75) 9977-3359 (Romeu Pousada Vila Parreiras);
 
1 vaga para vendedor externo na área construção civil com veiculo próprio. Interessdos devem ligar para o número (75) 3488-2071 e 75 9989 8000 (Elba/Paco Ltda);
 
1 vaga para representante comercial. Interessados devem entregar currículo na Rua Castro Alves, 1362, Centro. (Carla/Plamol 3221-2200);
 
2 vagas para manicure e 1 vaga para depiladora e esteticista. Interressados devem ligar para o número (75) 8128-2424 (Rafaella Guirra);
 
5 vagas para vendedores com experiência na área. Interessados devem enviar currículo para o e-mail gerente885@magzineluiza.com.br ou entregar na Avenida Senhor do Passos, 1332, Centro (Mafgazine Luiza Ltda/Adriano Queiroz)
Por G1 Bahia

 

29/07
às 02:12
Secom

Os reflexos positivos da boa quantidade de chuva que cai em Feira de Santana nas últimas semanas começam a ser sentidos no bolso do consumidor. Produtos como verduras, frutas e legumes apresentam queda de preços no Centro de Abastecimento, maior entreposto comercial da região.
 
Alguns itens precisam ser pesquisados, isso porque seu preço pode variar, depende até de horário e do setor que são comprados. Os preços têm caído, e alguns itens iniciaram a última semana de julho em queda livre. A explicação, segundo os comerciantes, está no tempo frio e chuvoso e até mesmo na diminuição de demanda.

O tomate, por exemplo, que já chegou a custar este mês quase R$ 6,00 o quilo, baixou para R$ 3,00. “É um produto que teve o preço da caixa reduzido de R$ 60,00 para R$ 30,00, o de primeira, e nós estamos repassando para o nosso cliente”, explica a comerciante Joselita Silva de Jesus.
 
Em outra banca a cebola, que na semana anterior era vendida por até R$ 8,00 o quilo, agora custa R$ 5,00. Já a batata diminuiu menos, mas acompanhou  a tendência, e o preço caiu de R$ 4,00 para R$ 3,00. O proprietário Samuel Vieira da Silva conta que pimentão e cenoura também tiveram queda nos preços e só o quiabo sofreu um pequeno reajuste, porque, segundo ele, “quiabo não gosta de frio”.
 
 A vendedora Josefa da Silva garante que no período da tarde as mercadorias podem ficar ainda mais baratas. É quando ela monta e pesa saquinhos com vários tipos de verduras juntas e vende com preço 20% menor.

Por Secom

 

29/07
às 02:07

Um adolescente de 15 anos tem utilizado suas horas de folga, antes do início das aulas, para ministrar palestras e cursos sobre o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem). José Victor Menezes Teles fez a prova no ano passado e, com apenas 14 anos, conseguiu nota suficiente para ser calouro do curso de medicina da Universidade Federal de Sergipe.
 
Com o tema "O meu desempenho para alcançar o sucesso", as palestras do sergipano José Victor são pagas, mas ele não revela quanto cobra por apresentação. "Na maioria das instituições, que foram particulares, fui orientado a estabelecer um preço em um tempo específico. Entretanto, nas instituições públicas, que fui convidado pelos meus pais e ex-professores, ministrei filantropicamente", contou ele em entrevista ao UOL.

Além de municípios de Sergipe, o garoto já viajou para o interior do Espírito Santo e do Mato Grosso do Sul para realizar os aulões, nos quais além de resolver questões, também dá dicas de como estudar. Ele ainda pensa em escrever um livro sobre a sua trajetória de estudo até alcançar a vaga no curso de medicina.

A repercussão do caso fez com o que José Victor mudasse até a postura com a qual se comportava em suas redes sociais. "Neste ambiente virtual que tendemos a nos portar informalmente, sou cobrado para o lado formal da língua, que, de qualquer maneira, não deixa de ser construtivo", afirmou.

Segundo José Victor, as palestras devem ser realizadas até quando se iniciarem as aulas no curso de medicina, que ainda não tem data prevista devido à greve dos professores na universidade.
 

Por Correio

 

29/07
às 02:02

 O Correios anunciou, nesta terça-feira (28), que vai abrir cerca de 2 mil vagas em 11 estados e no DF. A empresa está finalizando os ajustes para a publicação do edital de abertura de concurso público para o cargo de agente de Correios, nas atividades de carteiro e operador de triagem e transbordo (OTT). A previsão é de que o edital seja liberado em agosto.

O salário inicial para os operadores de triagem e transbordo, somado à gratificação (GIP), chega a R$ 1.284,00. No caso dos carteiros, soma-se ainda o adicional de distribuição, elevando a remuneração para R$ 1.620,50.

Além disso, os admitidos terão benefícios como vale alimentação/refeição (de R$ 971,96 a R$ 1.092,48), vale-transporte, auxílio-creche ou auxílio babá, além de adicionais - de acordo com o Plano de Cargos, Carreiras e Salários (PCCS) - e a possibilidade de adesão ao Plano de Previdência Complementar.

 

Por Correio

 

29/07
às 01:58

O Bahia segue sem vencer na Série B. na noite desta terça (28), o Tricolor foi até o estádio do Arruda e perdeu para o Santa Cruz por 3 a 1. Anderson Aquino e Luisinho, duas vezes, marcaram para os pernambucanos. Thales descontou para o Esquadrão, que com o resultado está na sétima colocação, com 25 pontos.

O Bahia volta as atenções agora para o ABC-RN, adversário desta sexta (31), no estádio do Frasqueirão, em Natal.

Não foi como o torcedor queria. Na noite desta terça-feira (28), o Vitória empatou com o Macaé em 0 a 0, no Barradão, e não conseguiu chegar a liderança do Campeonato Brasileiro da Série B. O Leão chegou aos 27 pontos e segue entre os quatro colocados.

O time volta a entrar em campo no sábado (1º), quando recebe o América-MG, no Barradão.

Por Correio