Esporte | Humildes Notícias - O site de notícias de Humildes - Bahia

HOME         POLÍTICA          ESPORTE         POLÍCIA         TRÂNSITO         RELIGIÃO         CULTURA E LAZER         EDUCAÇÃO         EMPREGO

Esporte

29/04
às 03:32

O Ba-Vi de domingo (30), às 16h, pelo jogo de volta das semifinais da Copa do Nordeste, na Fonte Nova, terá uma nova cota de ingressos a ser vendida a preço promocional de R$ 10.

Segundo o presidente Marcelo Sant’Ana, em entrevista ao Programa do Esquadrão desta sexta-feira (28), serão 4 mil ingressos vendidos por esse valor a meia-entrada. A inteira custará, portanto, R$ 20.

Para que o preço promocional fosse possível, de acordo com o dirigente, o próprio Bahia vai subsidiar os ingressos junto à Fonte Nova.

As entradas ficam localizadas no setor Super Sul, que seria destinado à visitante, do Vitória. O lugar ficaria vazio após a adoção da torcida única, recomendada pelo Ministério Público estadual e acatada pela Confederação Brasileira de Futebol (CBF).

Os ingressos estão à venda pelo site da Fonte Nova, nos balcões Ticketmix dos shoppings Salvador e da Bahia e nos guichês da arena. A carga promocional será colocada à venda pela internet a partir das 20h desta sexta-feira. No sábado (29), os pontos de venda presencial abrem às 9h. Domingo, dia do jogo, as vendas serão concentradas no estádio. 

Mais quatro lojas oficiais - situadas nos shoppings Bela Vista, Salvador Norte, Paseo Itaigara e Estrada do Coco - também vendem ingresso, porém somente dos setores Oeste e Lounge. 

Até o final da tarde, cerca de 17 mil ingressos já haviam sido garantidos pela torcida tricolor para a partida. Os preços de cada setor estão detalhados na tabela abaixo.

Por Correio
(0) Ver Comentários Mandar Comentário Indique a um Amigo

 

28/04
às 00:57

Gols, bolas na trave, expulsão, chuva, queda de energia. O primeiro Ba-Vi da semifinal da Copa do Nordeste só não teve torcida dos dois times, mas sobrou emoção dentro de campo no Barradão. De virada, o Vitória venceu o Bahia por 2x1, na noite desta quinta-feira (27), e jogará pelo empate domingo (30), às 16h, na Fonte Nova. Para avançar, Bahia precisa fazer 1x0. Leão também avança se perder por um gol de diferença, desde que seja com placar a partir de 3x2 (4x3, 5x4...). E claro, 2x1 para o Bahia leva a decisão para os pênaltis. 

O jogo começou sob muita chuva, que não foi suficiente para diminuir a vibração da torcida rubro-negra na arquibancada. Reinando sozinha, somente um gol do tricolor esfriaria os ânimos e foi o que aconteceu logo aos quatro minutos. 

Allione cobrou escanteio e Edson subiu sozinho para cabecear e abrir o placar. Como não pôde correr pra galera para comemorar, restaram os abraços e carinhos dos companheiros e comissão técnica no banco de reservas: Bahia 1x0. 

O Vitória tentou responder com David em jogada individual, mas o atacante foi derrubado por Hernane quando avançava em velocidade. Quem se deu mal, no entanto, foi o camisa 9 tricolor, que além de receber o terceiro cartão amarelo e ficar fora do jogo da volta, se machucou no lance e saiu do estádio direto para o hospital com suspeita de fratura. Guto Ferreira colocou Gustavo no lugar. 

Na sua primeira jogada, fez bem o pivô e rolou na direita para Edigar Junio cruzar e a zaga afastar. Na segunda, aos 19 minutos, Gustavo foi pra uma dividida forte com Kanu próximo à bandeira de escanteio e deixou o braço. Apesar de não ter acertado, o zagueiro do Vitória caiu no chão, o árbitro entendeu que o lance era pra expulsão e aplicou cartão vermelho. Os jogadores do Bahia protestaram e houve confusão entre os dois times. Até Argel foi para o bolo.

Quando a bola voltou a rolar, o Vitória partiu logo pra cima em busca do empate. Tentou com André Lima de cabeça, mas o camisa 99 mandou pra fora. O Bahia levou mais perigo e quase ampliou em contra-ataque puxado por Armero. O colombiano lançou Allione, que tocou de trivela tentando encobrir Fernando Miguel e a bola passou por cima do gol. 

O Bahia ainda teria outra boa chance em chute de Edigar Junio, que Fernando Miguel espalmou, mas, aos 37 minutos, o Vitória chegou ao empate. Edson tentou cortar o passe para André Lima, mas a bola imprensada caiu na cabeça de Euller, que aproveitou a saída atrapalhada de Jean e fez 1x1.

 O gol embalou o time de Argel, que por pouco não virou no chutaço de Willian Farias que explodiu no travessão. Alguns jogadores pediram gol, mas o próprio rubro-negro Cleiton Xavier foi ver a marca da bola e fez sinal positivo para o bandeira. O Bahia respondeu na mesma moeda, em chute de Allione que também acertou o travessão de Fernando Miguel.                     

As equipes voltaram sem modificações para o segundo tempo e dessa vez foi foi o Vitória que marcou logo no início. Aos 6 minutos, Patric cobrou escanteio, Lucas Fonseca derrubou Fred na área, o juiz não marcou, mas André Lima pegou a sobra e mandou para o fundo da rede. Era a virada.

Mesmo com um a menos, o Bahia continuou levando perigo. Em boa tabela com Edigar Junio, Zé Rafael invadiu a área e chutou de chapa, por cima do gol, perdendo chance incrível. O Leão teve outra grande chance com David, que pegou de primeira dentro da área e mandou para fora. 

Aos 40 minutos, se é que ainda faltava algo além da torcida visitante, veio o último fato marcante: uma queda de energia paralisou o clássico. Na volta, Jean ainda evitou o terceiro gol rubro-negro, em chute fontal de Willian Farias.

Por Ibahia
(0) Ver Comentários Mandar Comentário Indique a um Amigo

 

28/04
às 00:55

O goleiro Bruno Fernandes se apresentou espontaneamente à delegacia da Polícia Civil em Varginha (MG) na tarde de hoje (27) e está sendo encaminhado para o presídio do município, onde ele declarou possuir residência fixa. Seu retorno à prisão se dá após decisão do Supremo Tribunal Federal (STF) que revogou liminar que o mantinha em liberdade.

Na terça-feira (25), após a decisão da corte, Bruno já havia se apresentado à Polícia Civil, mas foi liberado uma vez que ainda não havia mandado expedido contra ele. Segundo a Secretaria de Administração Prisional de Minas Gerais, ele será transferido nos próximos dias para a Penitenciária de Três Corações (MG). O goleiro ocupará cela individual.

Bruno é apontado como autor do assassinato de Eliza Samudio, com quem teve um relacionamento e um filho. Ela desapareceu em 2010, aos 25 anos, e foi considerada morta pela Justiça. Seu corpo nunca foi encontrado. Na época, o goleiro atuava no Flamengo. Em 2013, ele foi condenado a 22 anos e três meses pelos crimes de homicídio triplamente qualificado, sequestro e ocultação de cadáver. Seu amigo Luiz Henrique Romão, conhecido como Macarrão, também foi condenado.

Em fevereiro deste ano, o ministro do STF, Marco Aurélio Mello, concedeu uma liminar determinando a soltura de Bruno para que pudesse recorrer em liberdade. Mello destacou que ele já somava seis anos e sete meses de prisão sem que tivesse sido condenado em segunda instância.

O ministro baseou-se em decisão do STF tomada no ano passado, segundo a qual a pena deve começar a ser cumprida após sentença de segunda instância, o que não era o caso de Bruno. Ele vinha sendo mantido preso preventivamente desde 2010. De acordo com o Código de Processo Penal, a prisão preventiva deve atender aos princípios da proporcionalidade e necessidade, não tendo prazo de duração máxima.

Porém, ao derrubar a liminar nesta semana, a Primeira Turma do STF considerou que a soltura de Bruno vai contra a decisão soberana do júri popular, que negou ao goleiro o direito de recorrer de sua condenação em liberdade. Este foi o entendimento do ministro relator Alexandre de Moraes, que foi acompanhado pelos votos de Rosa Weber e Luiz Fux.

A Corte considerou ainda que a demora no julgamento pela segunda instância se dá pelas peculiaridades do caso, não podendo ser atribuída à inércia dos órgãos de Justiça. O caráter hediondo dos crimes também justificaria a manutenção da prisão. O advogado Lúcio Adolfo, responsável pela defesa de Bruno, não atendeu as tentativas de contato da Agência Brasil para comentar a decisão.

Boa Esporte

Nos dois meses em que esteve em liberdade, Bruno voltou a atuar no futebol profissional. Aos 32 anos, ele fechou acordo com a equipe mineira Boa Esporte, sediada em Varginha (MG). Diante do anúncio, diversos patrocinadores do clube optaram por romper o contrato, mas a diretoria manteve o Bruno na equipe.

Bruno jogou cinco partidas pelo Boa Esporte, que está disputando a segunda divisão do Campeonato Mineiro. Foram duas vitórias, dois empates e uma derrota. O contrato do goleiro com a equipe mineira previa a rescisão automática caso ele voltasse à prisão e ficasse incapacitado de atuar.

Por Agência Brasil
(0) Ver Comentários Mandar Comentário Indique a um Amigo

 

27/04
às 10:42
 
Hoje é um dia atípico. Para jogadores, dirigentes, imprensa e, principalmente torcedores e Polícia Militar. É a primeira vez que um Ba-Vi terá torcida única. O jogo será às 20h30, no Barradão, pela semifinal da Copa do Nordeste.
 
Como é tudo novo, é bom prestar atenção nas novas regras. Torcedores do Vitória, únicos que terão acesso ao estádio, transitarão sem problema pelos arredores do Barradão. Já os tricolores só poderão transitar até as bases móveis da PM, localizadas em frente a São Rafael e ao estacionamento do estádio.
 
O tenente-coronel Eduardo Luis Costa Ferreira explicou como os torcedores devem proceder. “Teremos uma base móvel em São Rafael e outra base móvel nas proximidades do estacionamento do Barradão. Até ali, o torcedor do Bahia pode ter acesso. A partir daí não vai passar. Recomendo o seguinte: não pense que vai chegar lá, tirar a camisa e levar no bolso. Nós não vamos aceitar. Essa camisa vai ficar retida, porque se nós liberarmos, ele, fatalmente, vai vestir quando passar por nós. Pode ser vítima de um confronto. Ir para um jogo difícil com a camisa adversária, sabendo que é proibido, você está querendo algum problema”, explicou ele, que disse como a PM vai proceder ao encontrar torcedores que estejam usando a camisa do Bahia. 
 
“Existe o direito de ir e vir do cidadão. Quando identificarmos alguém com camisa do Bahia, vamos abordá-lo e fazer uma recomendação para que ele evite as proximidades do estádio, para evitar qualquer tipo de reação violenta de torcedores mais exaltados”, completou. 
 
Além disso, a segurança vai fiscalizar as redes sociais e reforçar o número de profissionais em áreas que costumam ter brigas de torcidas organizadas. “A preocupação da PM é abrangente. Temos as redes sociais, onde pessoas que não estão concatenadas com a vida em sociedade, criam conflitos, marcam confrontos. Nós temos nosso sistema de inteligência policial, que permite que a gente se antecipe. A nossa intenção é extirpar qualquer forma de possibilidade de um confronto. Nós temos que nos antecipar”, disse Costa Ferreira.
 
O que os times acham?
 
Para o técnico Guto Ferreira, o cenário de torcida único empobrece o futebol. “Já trabalhei sem torcida, mas torcida única, não. Prefiro o espetáculo com as duas torcidas, mas posso dizer com toda a sinceridade que a vida não tem preço. Momentos como esse cabe não só a nós refletirmos, mas gostaria muito que aquelas pessoas envolvidas no episódio que gerou tudo isso pudessem refletir se valeu a pena. Se pra se poupar vidas precisa ser um espetáculo de torcida única, que seja”, lamentou. 
 
Pelo lado rubro-negro, o meia Cleiton Xavier parece mais acostumado com o cenário, já que defendeu o Palmeiras no ano passado e torcida única é uma realidade em São Paulo. “Não muda para a gente. Muda pelo fato da violência. Se não fosse isso, seria torcida mista. É legal para o espetáculo, os familiares e para o bem do futebol, mas vamos jogar aqui com nossa torcida e eles lá, com a deles. Dentro de campo temos que fazer a diferença, seja torcida única ou não. Temos que estar focados 100% no campo”, opinou.
 
 
Por Ibahia
(0) Ver Comentários Mandar Comentário Indique a um Amigo

 

24/04
às 10:00
 
 
Provocações em partidas de futebol são comuns. Mas torcedores do Criciúma provocaram indignação após o jogo da nona rodada do segundo turno do Campeonato Catarinense no domingo (23). O Criciúma venceu a Chapecoense por 1x0, com gol de Adalgiso Pitbull, embora o time de Chapecó já tivesse garantido vaga para as finais do campeonato.
 
A torcida da Chapecoense, então, decidiu provocar a torcida do Criciúma, e gritou "ão, ão, ão, segunda divisão", em referência à presença do Criciúma na Série B do Campeonato Brasileiro. A torcida do time da casa então devolveu: "ão, ão, ão, abastece o avião". O grito fazia referência ao acidente aéreo que matou 71 pessoas no dia 29 de novembro de 2016, na Colômbia, incluindo a maior parte da delegação da Chapecoense.
 
A provocação foi mal recebida nas redes sociais. Usuários do Twitter, que assistiam à partida, criticaram os torcedores do Criciúma.
 
Por Correio
(0) Ver Comentários Mandar Comentário Indique a um Amigo

 

16/04
às 22:21
Na cabeça do torcedor parecia uma eternidade, mas foram só 16 dias sem Hernane brocar. Jejum que acabou neste domingo (16), sobre o Fluminense de Feira, no Joia da Princesa.
 
Mas não foi só ele. O Esquadrão como um todo respondeu à desconfiança da torcida após o a derrota no Ba-Vi do último domingo com uma penca de gols: 3 a 0 sobre o Touro do Sertão, ficando a um passo da final do Campeonato Baiano.
 
Tudo bem que a defesa do Flu de Feira, desastrada, ajudou muito, mas os atacantes do tricolor sobraram. E o destaque vai para o camisa 9 porque foi ele quem abriu a porteira aos 32 minutos do 1º tempo.
 
Por Correio
(0) Ver Comentários Mandar Comentário Indique a um Amigo

 

14/04
às 02:20

Bruno não vem tendo uma vida fácil em sua volta aos gramados, após seis anos preso acusado por assassinato e ocultação de cadáver de Eliza Samudio. O goleiro até que fez uma boa atuação no empate por 0 a 0 diante do Patrocinense, na última quarta-feira, pelo Módulo II do Campeonato Mineiro, mas acabou sendo alvo de uma barra de ferro, atirada por um torcedor de dentro do estádio Júlio Aguiar, na cidade de Patrocínio (MG).

O fato ocorreu aos 18 minutos do primeiro tempo durante uma discussão entre Bruno e alguns jogadores da equipe de Patrocinense. O goleiro do Boa, inclusive, entregou a barra de ferro para o árbitro Emerson de Almeida Ferreira, que relatou na súmula o ocorrido. “Informo que aos 18 minutos do primeiro tempo quando o jogo se encontrava paralisado, o goleiro da equipe do Boa Esporte Clube sr. Bruno Fernandes das Dores de Souza, me apresentou um vergalhão de ferro de aproximadamente 30cm dizendo que o mesmo havia sido arremessado dentro do campo de jogo por torcedores da equipe do Clube Atlético Patrocinense que se encontravam atrás de sua meta (fato este que não foi observado por nenhum membro da equipe de arbitragem, representante e delegado da partida que se encontravam em campo de jogo)”, disse a súmula do árbitro.

Segundo a diretoria do Patrocinense, o responsável por atirar a barra de ferro foi identificado e retirado do estádio ainda durante a partida, o que não deve gerar punição ao time mandante que aparece na terceira colocação do Módulo II com quatro pontos, mesma pontuação do vice-líder Uberaba. O Boa tem dois.

Com Bruno novamente entre os titulares, o Boa volta a campo neste sábado, às 17h30, contra o Betinense, de Betim (MG), no estádio Dilzon Melo, em Varginha, pela terceira rodada do Hexagonal Final da segunda divisão mineira. 

Por Correio
(0) Ver Comentários Mandar Comentário Indique a um Amigo

 

14/04
às 02:17

O tropeço veio quando não podia. Nesta quinta-feira (13), no Barradão, o Vitória perdeu sua invencibilidade de 18 jogos após ser derrotado por 2x0 pelo Paraná, pelo jogo de ida da quarta fase da Copa do Brasil. Com o resultado, o time paranaense pode até perder no jogo de volta, em Curitiba, na próxima quarta-feira (19), às 19h30. Agora, para se classificar às oitavas de final, o Leão precisa vencer por três gols de diferença ou por dois gols, caso o placar seja de 3x1 em diante.

Um primeiro tempo com a cara da Copa do Brasil. Competitivo, mas cheio de cautela. Em uma competição onde um único gol pode jogar um sonho por água abaixo, todo cuidado, de fato, era pouco.

O rubro-negro começou o duelo com certo domínio. Porém, a primeira chance de perigo demorou 15 minutos para aparecer. Willian Farias aproveitou uma sobra de bola e, de fora da área, mandou uma bomba que passou perto do gol de Léo. No lance seguinte, David chegou à linha de fundo em jogada pela direita e cruzou no segundo pau para Cleiton Xavier, que ajeitou e tocou no meio da pequena área. André Lima recebeu e cabeceou, mas a bola foi para fora. 

Aos 22, mais Vitória. Cleiton Xavier recebeu passe de David na ponta direita e tentou chutar para o gol, mas Léo defendeu com facilidade.

A máxima do futebol prevaleceu. Quem não faz, leva. O Paraná começou a amadurecer seu gol e ensaiou furar o bloqueio em jogadas de Leandro Vilela e com Renatinho - decorem esse nome -, que arriscaram de longe. 

No último minuto do primeiro tempo, aos 48, Renatinho cobrou escanteio na área e Airton, meio de voadora, mandou a bola para o fundo do gol e fez 1x0. O time do técnico Argel Fucks não sofria gols no Barradão há seis jogos.

Na volta, os dois times tiveram uma caída. Com um Paraná mais recuado, o Vitória encontrou dificuldade de criar jogadas ofensivas, mas chegou com perigo aos oito minutos. Cleiton Xavier tocou para David em contra-ataque e o atacante chutou de perna esquerda, porém a bola passou por cima do gol de Léo. 

Foi sofrido e suado, mas o impressionante fôlego de David ainda dava esperança ao rubro-negro. Aos 33, o atacante pegou uma sobra de fora da área, cortou o marcador e mandou uma bomba para o gol, a bola desviou em Eduardo Brock e quase entrou. 

O Leão foi aguerrido e tentou até o final, mas a dupla de zaga paranaense trabalhou certo. E novamente, quem não fez, levou. Aos 43 minutos, o Paraná arrancou um contra-ataque, Diego Tavares recebeu na entrada da área, driblou Euller e bateu cruzado. Guilherme Biteco, livre, só teve o trabalho de empurrar para o fundo do gol e sacramentar o placar final: 2x0. 

Maratona

O Vitória terá uma sequência de cinco jogos decisivos. O próximo já é neste domingo, contra o Vitória da Conquista, pelo jogo de ida da semifinal do Campeonato Baiano. O duelo será no estádio Lomanto Júnior. Em seguida, o Leão faz o jogo de volta da Copa do Brasil diante do Paraná, enfrenta novamente o Conquista e encara os dois jogos da semifinal da Copa do Nordeste contra o rival Bahia, nos dia 27 e 30.

Por Correio
(0) Ver Comentários Mandar Comentário Indique a um Amigo

 

13/04
às 10:20
As torcidas organizadas de Feira de Santana "Bora Bahia Minha Benção", "Falange Tricolcor" e "Flucana" farão um ato de Paz em frente ao Joia da Princesa antes do jogo do próximo domingo (16), quando acontece a partida entre o Fluminense de Feira e o Bahia. 
 
Em entrevista ao Jornal do Meio Dia (Princesa FM), Eduardo Brito, representante da Embaixada Tricolor, afirmou que está esperando uma resposta do Fluminense de Feira junto à Federação Baiana de Futebol para autorização da realização do ato. "Estádio é um lugar de alegria. Que, ganhando ou perdendo, possamos voltar para casa com a sensação de que o jogo foi algo positivo", disse Eduardo. 
 
Vitor Ribeiro, da Flucana, ressaltou de que a torcida organizada é nova e tem como um dos principais intuitos promover a Paz. "Diferente do que se acha das torcidas organizadas, nosso intuito é a Paz. Precisamos continuar levando a família para os estádios. Para entrar na nossa torcida há uma triagem para evitar esse tipo de coisa. Que esse ato não aconteça só neste domingo e sim em todos os jogos", disse.  
 
"É muito compliado ir para o estádio sem saber se vamos voltar ou não. Estamos juntos com a Bora Bahia Minha Benção e estamos esperando a resposta do Fluminense e da Federação. Precisamos fazer manifestações, não podemos ficar parados", completou. 
 
Os organizadores do evento pedem que os torcedores que forem ao estádio levem um lenço branco para participação no ato de Paz.
 
Por De Olho na Cidade
(0) Ver Comentários Mandar Comentário Indique a um Amigo

 

09/04
às 19:59
Uma grande prévia com gostinho de quero mais . O primeiro dos pelo menos cinco Ba-Vis de 2017 teve todos os ingredientes de um grande clássico. Suspense, surpresas, expulsão, gols e muita festa nas arquibancadas. Cirúrgico, o Vitória levou a melhor e venceu o Bahia por 2x1 com gols de Cleiton Xavier e Kanu. Alan Costa, contra, descontou para o tricolor.
 
Como todo bom clássico, teve emoção, apreensão e novidades antes mesmo da bola rolar, quando o Bahia confirmou o veto de Edson, que sofreu uma pancada no treino de sexta-feira, e o Vitória anunciou que Kieza ficaria de fora, por ter sentido a coxa durante o aquecimento. Renê Júnior e André Lima foram os respectivos substitutos. 
 
Quando o jogo começou, o Vitória foi o primeiro a assustar. André Lima abriu na esquerda para Gabriel Xavier, que fez cruzamento perigoso para o camisa 99 pegar de primeira e mandar por cima do gol, assustando Anderson.
Na cobrança de falta, Régis rolou para Juninho pegar firme na bola e obrigar Fernando Miguel a fazer uma defesa difícil. No final do primeiro tempo, em lance despretensioso, Zé Welison teve uma entorse no joelho na disputa com Régis e teve que ser substituído por Bruno Ramires. 
 
Quando o 0x0 teimava no placar, Cleiton Xavier tirou o grito de gol da garganta dos rubro-negros aos 44 minutos. A jogada começou com André Lima ganhando de Tiago pelo alto e desviando para Gabriel Xavier. O meia invadiu a área na velocidade e cruzou para trás. Juninho se antecipou e quase mandou contra, Armero tirou de cabeça em cima da linha e, na sobra, Patric teve tranquilidade para cruzar no pé de Cleiton, que só empurrou para o fundo das redes. 
 
E deu tempo de sair mais um. Aos 48, Gabriel Xavier cobrou escanteio e Kanu subiu mais que toda a zaga tricolor para fazer o segundo. Uma cabeçada certeira, no ângulo. 
 
JOGO QUENTE
 
Em desvantagem no placar, o Bahia voltou com tudo para o segundo tempo e, logo no primeiro lance, Allione cruzou no capricho para Edigar ajeitar de cabeça buscando Hernane, mas Kanu chegou antes dele. 
 
Tiago tratou de complicar a reação tricolor. Em disputa de bola com André Lima, o zagueiro deixou o braço no rosto do atacante e foi expulso. Com um a menos, as coisas ficaram ainda mais difíceis para o Bahia. O Vitória controlava com tranquilidade e sem se expor. 
 
Até que, aos 12 minutos, Eduardo fez grande jogada pela direita e chutou rasteiro. A bola desviou no zagueiro rival Alan Costa, que tentou fazer o corte. A bola, contudo, foi direto contra o próprio gol.
 
O gol encorajou o Bahia, que passou a acreditar no empate. Novamente pelo lado direito, Régis tentou cruzamento rasteiro, mas Kanu cortou bem. O Vitória respondeu com Paulinho. Juninho tentou o corte e a bola foi para trás. Cara a cara com Anderson, o atacante tentou deslocar o goleiro tricolor, que fez grande defesa com os pés.
 
Guto colocou Zé Rafael em campo no lugar de régis, para tentar aumentar o poderio ofensivo do time. Argel respondeu com a entrada de Jhemerson no lugar de Gabriel Xavier. Em sua última cartada, Guto promoveu Gustavo na vaga de Edigar Junio e foi vaiado, chamado de burro pela segunda vez, assim como na saída de Régis.
 
Coube ao Vitória continuar controlando bem a partida para sair vencedor. Líder isolado e vantagem garantida até a final do campeonato, caso chegue mesmo lá. 
 
 
Por Correio
(0) Ver Comentários Mandar Comentário Indique a um Amigo

 


 

PAES, BISCOITOS, SALGADOS, CONFEITARIAS E MUITO MAIS, ENTREGA PARA EVENTOS E ANIVERSÁRIO. Av. Getúlio Vargas, 927 fone (75)2101-9920 Feira de Santana BA.