Esporte | Humildes Notícias - O site de notícias de Humildes - Bahia

HOME         POLÍTICA          ESPORTE         POLÍCIA         TRÂNSITO         RELIGIÃO         CULTURA E LAZER         EDUCAÇÃO         EMPREGO

Esporte

25/05
às 03:33
Pela forma como tudo começou, não poderia terminar diferente. Uma recepção inesquecível aos jogadores. O gol de Edigar Junio, que saiu aos 12 minutos, foi o suficiente. Com a dose de emoção que lhe é peculiares, o Bahia mostrou por que é o maior do Nordeste, como o mosaico dizia antes da partida.
 
Foram 15 anos de espera, mas cada minuto, certamente, valeu a pena para o torcedor, que pôde finalmente soltar o grito de tricampeão do Nordeste após o triunfo de 1x0 sobre o Sport, na Arena Fonte Nova.
 
A primeira boa chance do jogo foi do Bahia. Allione iniciou a jogada em lance individual, a bola chegou até Edigar Junio, que protegeu e cruzou para Régis cabecear para fora. 
 
Com três zagueiros, o Sport explorava as jogadas pelos lados do campo, principalmente com Mena, pelo lado esquerdo. O grito ensurdecedor das arquibancadas, no entanto, empurrou o tricolor até o primeiro gol.
 
O colombiano Pablo Armero avançou pela esquerda e lançou para Edigar Junio, que dominou, girou em cima de Matheus Ferraz e com um lindo toque de cobertura no goleiro Magrão, fez a Fonte Nova balançar como há muito tempo não se via. Belo gol do camisa 11 tricolor. 
 
Melhor em campo, o Bahia não diminui o ritmo mesmo com a vantagem no placar. Em bom passe de Eduardo, Régis errou o domínio, mas a bola resvalou no zagueiro do Sport e sobrou limpa para o meia tricolor chutar forte e acertar a rede pelo lado de fora.
 
Enquanto a arquibancada seguia fervendo com os cantos da torcida, dentro de campo o jogo deu uma esfriada. Muita marcação dos dois lados e lances até mais duros, que geraram cartões amarelos para Régis e Rogério. 
 
Em cobrança de falta do argentino Allione, quase o segundo gol saiu. Edigar Junio apareceu sozinho no segundo pau e testou com força, porém a bola explodiu na trave e saiu. Foi por muito pouco. 
 
 
Ao tentar um drible dentro da área, Rogério se jogou para simular um pênalti. O árbitro Francisco Carlos Nascimento aplicou a regra e deu o segundo cartão amarelo, que terminou na expulsão do jogador aos 32 minutos. O atacante saiu de campo sem reclamar. 
 
Mesmo com um jogador a mais, o Esquadrão desperdiçou alguns contra-ataques e não conseguiu criar mais boas chances até o final do primeiro tempo. O time saiu aplaudido de campo. 
 
Segundo tempo
 
O Bahia voltou com tudo para o segundo tempo e chegou a marcar um gol com Edigar Junio, que aproveitou o chute cruzado de Armero e, mesmo sentado, cabeceou para o gol, só que o bandeirinha marcou impedimento do atacante.
 
Absolutamente em cima, o time de Guto Ferreira teve duas boas oportunidades seguidas. Na primeira, Régis recebeu lançamento de Jean, esperou a bola quicar e chutou forte, obrigando Magrão a fazer boa defesa e espalmar para escanteio. Depois, Allione invadiu a área pelo lado direito e cruzou rasteiro para Edigar Junio finalizar de primeira e novamente Magrão defender, dessa vez com os pés. 
 
Enquanto isso, na arquibancada da Fonte, a torcida revezava os cânticos emanando o tradicional“Vamos ser tri, Esquadrão” e se declarando com o “Sabe, eu sou Baêa, com muito orgulho, com muito amor”. Só pararam de cantar para gritar o nome de Renê Junior, mais uma vez o dono do meio de campo, que saiu de para a entrada de Juninho.
 
Após minutos de agonia com as equipes se revezando em chances perdidas (o Bahia muito mais), o apito final soou como o som mais bonito que poderia haver no momento
 
Por Ibahia
(0) Ver Comentários Mandar Comentário Indique a um Amigo

 

18/05
às 03:32

Começou a contagem regressiva a partir de agora até o segundo jogo da final. Bahia e Sport deixaram um gostinho de quero mais aos seus torcedores após um empate em 1x1 de tirar o fôlego na Ilha do Retiro, no Recife, na noite desta quarta-feira (17). O tricolor saiu na frente com Juninho, mas sofreu o empate com um gol de outro Juninho, do time da casa. Resta esperar a próxima quarta-feira (24), quando tudo será definido na Fonte Nova.

Em meio a uma Ilha do Retiro pulsante, foi o Bahia que tomou a iniciativa da partida. Com uma marcação bem encaixada, o time de Guto Ferreira dificultava as ações do Sport, que não conseguiu criar nos primeiros minutos.  

A primeira boa chance foi tricolor. Renê Júnior encontrou Zé Rafael na direita, que passou para Eduardo cruzar rasteiro, mas Magrão se antecipou a Edigar Junio e conseguiu fazer a defesa. 

A resposta dos donos da casa foi na bola parada. Aos 12 minutos, Fabrício cobrou falta pelo lado direito, Matheus Ferraz subiu mais que a zaga tricolor e cabeceou na trave. A partir daí o Sport cresceu. Lucas Fonseca saiu jogando errado e entregou nos pés de Diego Souza. O meia levantou com categoria pra Rogério emendar de voleio e obrigar Jean a fazer grande defesa. 

Eram 26 minutos quando a dupla Diego Souza e Rogério voltou a aparecer. O camisa 87, com uma casquinha, deixou o atacante rubro-negro no mano a mano com Eduardo. Ele puxou para o pé direito e colocou no canto esquerdo de Jean. A bola passou perto, mas saiu pela linha de fundo

Pressionado, o Bahia não conseguiu mais trocar passes, tendo em Juninho um dos que mais erravam nesse quesito. O tricolor só voltou a assustar aos 36 minutos, quando Allione tabelou com Edigar Junio, invadiu a área e caiu na disputa com Magrão. O árbitro mandou o lance seguir. 

Teve mais polêmica no final do primeiro tempo. Juninho cobrou escanteio, a zaga do Sport afastou mal, Zé Rafael pegou de primeira e mandou para o fundo das redes. No entanto, a arbitragem entendeu que Renê Júnior - que estava em posição irregular - participou do lance e anulou o gol. Detalhe é que Renê nem fez menção de ir pra bola.

As equipes voltaram sem mudanças para o segundo tempo, e o Bahia chegou com perigo em jogada de Eduardo, que chutou forte e Magrão espalmou. Em minoria, a torcida tricolor sobrepôs a maioria rubro-negra aos 11 minutos.

Matheus Reis tabelou com Zé Rafael e cruzou, Edigar brigou pela bola, que sobrou limpa para Juninho soltar um foguete e abrir o placar: 1x0. 

A partir daí só se ouviam o batuque e a festa baiana em meio ao silêncio pernambucano. A zoada só não ficou maior graças a Magrão. O goleiro do Sport impediu de forma milagrosa que Edigar Junio, de cabeça, ampliasse. Antes, ele já tinha defendido um chute colocado de Juninho.

A torcida da casa só se manifestava para chamar o técnico Ney Franco de burro. Surpresa na escalação inicial, Matheus Sales acabou substituído por Feijão aos 31 minutos por cansaço.

O jogo parecia sob controle do Bahia. A bola parada era o único recurso do Sport e foi justamente através dela que o time conseguiu o empate. Após cobrança de escanteio, Juninho se antecipou, desviou de cabeça e fez 1x1.

 

O gol reacendeu a Ilha, que empurrava o time da casa em busca da virada. Guto Ferreira tentou recolocar o Bahia no jogo com a entrada de Gustavo no lugar de Allione. Mas foi só. Empate nos primeiros 90 minutos e muita emoção guardada para a próxima quarta-feira. 

Por Correio
(0) Ver Comentários Mandar Comentário Indique a um Amigo

 

17/05
às 03:41

O Jornal Folha do Estado da Bahia apresenta a 4° CORRIDA DE FEIRA, uma corrida de rua voltada para todos os praticantes da modalidade e tem como objetivo proporcionar a socialização, aliando a prática esportiva com muita animação.

A 4ª edição da prova será realizada no dia 04 de junho de 2017 com largada em frente à  Prefeitura Municipal, na Avenida Getúlio Vargas, às 07:00h. O percurso contemplará as Avenidas Getúlio Vargas e Noide Cerqueira. Com percursos de 21 km, 10 Km e 5 km, o circuito será realizado em duas das principais avenidas da cidade de Feira de Santana-Ba e será montada uma estrutura de apoio com posto médico, guarda-volumes, posto de hidratação e frutas, entrega de medalhas de participação e premiação dos vencedores.

A retirada de kit será realizada no dia 03 de junho de 2017 de 09:00h as 21:00h em local a ser definido.  Será necessário a apresentação do documento de identificação e o comprovante de inscrição.

Obs. Caso a Av. Getúlio Vargas esteja em obras por conta do projeto do BRT e impossibilite o evento, a prova será transferida na totalidade para Av. Noide Cerqueira.

Por Folha do Estado
(0) Ver Comentários Mandar Comentário Indique a um Amigo

 

17/05
às 03:26

O Bahia não vai poder contar com Régis em um dos jogos mais importantes do ano. Suspenso para a primeira final da Copa do Nordeste, nesta quarta-feira (17), contra o Sport, o meia não poderá entrar em campo, mas fez questão de viajar com o grupo para Recife.

Recebido com cantos de '59 é nosso, 88 também', o jogador foi uma das atrações do Encontro de Embaixadas no Recife, que contou ainda com a presença do mascote e a exibição da taça de 1988, além de sorteio de brindes.

"Nesse momento, a gente precisa estar junto. É um momento de decisão. Toda energia positiva vai fazer a diferença. Não pensei duas vezes antes de vir e espero ver o time com toda força em busca desse resultado. É decisão fora de casa. Temos que levar a vantagem para Salvador", disse ele, que deu conselho aos atletas. "É uma decisão. Precisa ter atenção o tempo todo. Não tem bola perdida. Tem que brigar o tempo todo e, quando tiver a oportunidade, fazer o gol. Já passei tudo pro Guto, tenho conversado com os companheiros. É difícil jogar na Ilha, mas o time está concentrado e sabe o que tem que fazer em campo", completou ele, que jogou pelo Sport em 2014 e 2015 e ainda tem contrato com a equipe pernambucana.

Surpreso com a euforia do torcedor tricolor que mora em Pernambuco, o meia falou sobre o carinho que recebeu ao chegar ao encontro com a Embaixada. "É muito legal a energia, a paixão que eles têm pelo Bahia. Isso só nos motiva e nos dá força para fazer o melhor pelo clube e para eles. Eu fico triste por estar de fora de um jogo tão importante como esse. Em um momento de felicidade, acabei não pensando. Fui na euforia, no momento de alegria por fazer gol decisivo, e fui suspenso. Agora fico torcendo de fora, com o coração apreensivo, mas mandando energia positiva e força o tempo todo", contou.

Apesar de ainda sentir um incômodo na coxa, o meia finalizou o papo com uma boa notícia para o torcedor do Bahia: estará em campo no dia que um dos clubes erguerá a 'Orelhuda', como é conhecida a taça de campeão da Copa do Nordeste. "Estou em tratamento por precaução. Não é nada grave. Na quarta (24) estarei 100% e em campo para ajudar o Bahia em busca desse título".

Por Correio
(0) Ver Comentários Mandar Comentário Indique a um Amigo

 

15/05
às 06:47
Vitória e Avaí protagonizaram o único 0x0 da primeira rodada do Brasileirão até aqui, em jogo realizado no estádio da Ressacada, em Florianópolis, neste domingo (14).
 
O rubro-negro teve duas boas chances de ganhar a partida, mas parou na trave em ambas. No primeiro tempo, em chute de Willian Farias. Na etapa final, Paulinho também acertou a trave do goleiro Kozlinski. 
 
No entanto, quem saiu reclamando de campo foi o Avaí, devido a um lance em que o zagueiro Renê, do Vitória, escorregou e acabou derrubando o atacante Júnior Dutra dentro da área. O árbitro, no entanto, deixou o lance seguir.
 
O empate deixa o Leão em 10º lugar no momento. O Vitória voltar a jogar no próximo domingo (21), contra o Corinthians. Esta partida e a seguinte, contra o Coritiba (dia 27), serão na Fonte Nova, devido a obras no Barradão.
 
Por Ibahia
(0) Ver Comentários Mandar Comentário Indique a um Amigo

 

15/05
às 06:39
Quando o jogo começou, parecia que o Bahia ia esbarrar na sua deficiência mais evidente nas últimas partidas: a finalização. Nos dez primeiros minutos, o tricolor apresentou um bom volume, com intensidade, mas não conseguiu chegar ao gol. O castigo veio aos 14, quando, em bom contra-ataque, Sidcley serviu o estreante Guilherme, que chutou rasteiro com categoria e abriu o placar na Fonte.
 
O empate do Bahia só saiu aos 33 minutos, quando Juninho bateu escanteio e Tiago cabeceou no primeiro pau. A reação, no entanto, foi freada pelo adversário. Quatro minutos depois, Guilherme cobrou falta, Marcão parou em Jean na primeira tentativa, mas mandou para o fundo das redes no rebote, colocando o Atlético na frente novamente. 
 
De repente, toda aquela dificuldade do time de Guto Ferreira em definir as jogadas desapareceu. Aos 39, Zé Rafael fez jogada individual deixando Cleberson no chão, foi bloqueado no primeiro chute, mas conseguiu pegar a sobra e mandar de cobertura: 2x2. 
 
Em ritmo alucinante, o Bahia chegou à virada dois minutos depois. Allione encontrou Régis na entrada da área e o camisa 20 colocou de pé-esquerdo, com categoria, no canto direito de Weverton para fazer 3x2. E não parou por aí. Aos 43, Edigar Junio partiu em velocidade e chutou forte, cruzado, e ampliou. 
 
Não perca as contas. Antes das equipes irem para o intervalo ainda deu tempo do Bahia fazer mais um, e foi outra pintura de Régis. O destaque tricolor recebeu passe de Zé Rafael, colocou na frente e, com um toque sutil, encobriu Weverton, fazendo Bahia 5x2. 
 
O ritmo da partida naturalmente diminuiu na segunda etapa. Logo aos 9 minutos, Régis sentiu a coxa e pediu para ser substituído. Diego Rosa entrou no seu lugar. Depois foi a vez de Zé Rafael ser substituído por Gustavo. 
 
O "sangue novo" no ataque deu o fôlego que o time precisava para voltar a tomar as rédeas do jogo. Aos 26 minutos, Eduardo encontrou Allione na direita, o argentino fez o cruzamento rasteiro, Diego Rosa não dominou, mas Edson chutou forte de pé esquerdo e fez o sexto.
 
As coisas ficaram ainda melhores para o tricolor quando o zagueiro do time paranaense, Marcão, cometeu falta em Diego Rosa, recebeu o segundo cartão amarelo e acabou expulso. Guto ainda colocou Maikon Leite no lugar de Edigar Junio, que saiu cansado. Por pouco Maikon Leite não deixou o dele no finalzinho, mas Zé Ivaldo salvou em cima da linha. 
 
Aos exatos 45 minutos, o árbitro assinalou o fim do jogo. O próximo compromisso tricolor é contra o Sport, quarta-feira (17), no primeiro jogo da final da Copa do Nordeste, às 21h45, na Ilha do Retiro, no Recife. Pela Série A, o próximo confronto é domingo que vem (21), contra o Vasco, no Rio de Janeiro, às 11h. 
 
Por Correio
(0) Ver Comentários Mandar Comentário Indique a um Amigo

 

10/05
às 03:41

Únicas contratações já conhecidas do Vitória para a Série A, o lateral esquerdo Thallyson, ex-Red Bull, e o atacante Todinho, que defendeu o Vitória da Conquista, devem ser anunciados oficialmente nesta quarta-feira (10).

Os dois compareceram à reapresentação do elenco após o título baiano na tarde desta quarta-feira (10), na Toca do Leão. No entanto, sequer apareceram para a imprensa: ficaram com os médicos do clube, fazendo os últimos exames médicos.

Finalista da Copa do Nordeste de 2013 pelo ASA, Thallyson acabou contratado pelo Flamengo, onde pouco jogou. De lá, rodou por times como Fortaleza, Ferroviária-SP, Ceará e voltou a se destacar no último Paulistão pelo Red Bull-SP. Tem 25 anos.

Já Todinho, 23, começou a carreira no Serrano e se destacou pelo Vitória da Conquista. Neste ano, disputou 12 jogos pelo Bode no Campeonato Baiano e marcou quatro gols. O jogador, inclusive, é um dos indicados ao prêmio de melhor atacante do estadual, que será distribuído na noite desta terça-feira.

Outro que não mostrou as caras para a imprensa foi o atacante Kieza. Fora dos dois últimos Ba-Vis com uma lesão muscular, o atacante continuou em tratamento nesta terça-feira. Sua presença na estreia do rubro-negro na Série A, neste domingo, contra o Avaí, é incerta.

Já o zagueiro Fred, também ausente do último Ba-Vi, fez o seu primeiro trabalho de transição no campo. Quem participou da final do estadual no Barradão ficou na academia, fazendo um trabalho regenerativo.

Por Correio
(0) Ver Comentários Mandar Comentário Indique a um Amigo

 

04/05
às 03:36

O Vitória reduziu os preços para a final do Campeonato Baiano, domingo (7), no Barradão, às 16h. Com o confronto será de torcida única e apenas rubro-negros terão acesso ao estádio, o clube decidiu fazer uma promoção para o jogo que vale a taça.

Os bilhetes para as arquibancadas custarão R$ 20 (inteira) e R$ 10 (meia), enquanto as cadeiras serão vendidas por R$ 30 (inteira) e R$ 15 (meia). A grande novidade para o jogo é que o Leão vai vender os ingressos do espaço onde ficaria a torcida visitante por R$ 10 (inteira) e R$ 5 (meia). 

Como empatou o jogo de ida, na Fonte Nova, em 1x1, o rubro-negro precisa apenas de um novo empate para ser campeão baiano. Para que o Bahia fique com a taça, é necessário que o tricolor vença o Vitória por qualquer placar.

Por Correio
(0) Ver Comentários Mandar Comentário Indique a um Amigo

 

04/05
às 03:26

O primeiro Ba-Vi da final do Campeonato Baiano foi marcado pelo equilíbrio e terminou empatado por 1x1 na noite desta quarta-feira (3), na Fonte Nova. Em um clássico onde o Bahia começou embalado e ditando o ritmo, o Vitória cresceu no segundo tempo, chegou ao empate e manteve a vantagem de jogar por outro empate no Barradão para ser campeão. O Ba-Vi de volta é domingo (7), às 16h.

Embalado pela torcida, confiante pelo triunfo no último clássico, o Bahia foi o primeiro a assustar em boa jogada individual de Zé Rafael, que invadiu a área e chutou na trave, mas a arbitragem já havia marcado falta do meia tricolor no lance.O Vitória tentava jogar com a bola no chão, estratégia bem diferente da utilizada quando era comandado por Argel, que investia na ligação direta. Mas só tentava, não conseguia. Em um desses lances, Kanu recuou mal para Fernando Miguel e quase complicou. O goleiro rubro-negro teve que rifar a bola, que bateu em Zé Rafael e quase entrou.

Toda a iniciativa da partida era do Bahia. Aos 22 minutos, em uma grande jogada, Zé Rafael tabelou com Régis e finalizou em cima da defesa, Régis pegou a sobra e fez o mesmo, até que a bola sobrou para Edigar Junio, dentro da grande área, chutar de pé esquerdo e perder uma chance incrível.

O tricolor conseguia entrar com facilidade na zaga do Vitória, mas pecava nas finalizações. Já o rubro-negro tentava a saída rápida nos contra-ataques, mas errava o passe. De tanto apertar, foi na bola parada que o Bahia conseguiu abrir o placar. Aos 33 minutos, Régis cobrou falta do lado direito, Tiago se antecipou a Alan Costa e cabeceou para o fundo das redes.

As duas equipes voltaram sem mudanças para o segundo tempo e o tricolor começou parecendo que não diminuiria o ritmo. Em chute de fora da área, Renê Júnior levou Fernando Miguel a fazer boa defesa. Mas esta não foi a tônica da etapa final, que teve o Vitória dono das melhores jogadas de ataque.

Antes, um lance importante no jogo: aos 9 minutos, o tricolor Régis caiu no gramado, pediu substituição e saiu para a entrada de Gustavo. Um dos melhores jogadores do Bahia em campo ia embora. Já o centroavante teve ótima chance de marcar após passe de Allione, mas chutou pra fora, de cara com Fernando Miguel.

A resposta do Vitória veio aos 23 minutos. Após jogada pela direita, Patric deixou Tiago no chão e chutou colocado de pé esquerdo. A bola ia entrar, mas Eduardo salvou o Bahia de cabeça antes que cruzasse a linha. Na sequência do lance, Paulinho cruzou e Cleiton Xavier acertou o travessão.

Gol contra

O Leão crescia na partida e conseguiu chegar ao gol de empate aos 32 minutos.  Uillian Correia deu ótimo passe para Patric, que ganhou de Lucas Fonseca e finalizou em cima de Jean. O goleiro salvou com os pés, só que a bola bateu em Armero e foi direto para o gol.

Ainda deu tempo do volante Uillian Correia ser expulso ao receber dois cartões amarelos em um intervalo de três minutos. Será desfalque domingo.

 

Por Correio
(0) Ver Comentários Mandar Comentário Indique a um Amigo

 

02/05
às 06:47
Apesar das tentativas do presidente da Federação Bahiana de Futebol (FBF), Ednaldo Rodrigues, os BAVIs da final do Baianão 2017 serão de torcida única. O dirigente tentou convencer o 3º Promotor de Justiça do Consumidor, Olímpio Campinho Junior, de liberar o retorno da torcida mista, mas não foi possível.
 
Na manhã desta segunda-feira (1), o promotor confirmou a decisão de manter a proibição da entrada da torcida visitante nos dois confrontos decisivos.
 
Os episódios de violência protagonizados pelos próprios jogadores nas duas partidas da semifinal da Copa do Nordeste motivaram a decisão. Mesmo entendendo que não houve qualquer participação e torcedores na confusão, Olímpio Campinho achou prudente dar seguimento à proibição.
 
Os jogos da final do Baianão acontecerão nos próximos dias. Na quarta-feira (3), às 21h45, na Arena Fonte Nova será realizado o primeiro BAVI com presença apenas de torcedores do Bahia. Já no domingo (7), no Barradão, acontecerá o jogo de volta, com presença apenas de torcedores do Vitória.
 
Por Folha do Estado
(0) Ver Comentários Mandar Comentário Indique a um Amigo

 


 

PAES, BISCOITOS, SALGADOS, CONFEITARIAS E MUITO MAIS, ENTREGA PARA EVENTOS E ANIVERSÁRIO. Av. Getúlio Vargas, 927 fone (75)2101-9920 Feira de Santana BA.